terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Jogo do Real: uma estratégia para trabalhar o Sistema Monetário

Olá Pessoal!

Hoje vamos apresentar um jogo que busca apresentar o Sistema Monetário de forma divertida e significativa. O Jogo do Real pode ser utilizado em todos os anos das séries iniciais do EFI, considerando e respeitando as necessidades de cada ano e turma.

Para saber mais sobre a Intervenção Pedagógica no trabalho com jogos leia também "Jogos como uma possibilidade de intervenção na superação das dificuldades em aprender"

É importante dizer também que este jogo faz parte de um contexto de aprendizagem em que outras estratégias estão sendo utilizadas para o estudo do sistema monetário. Dentre elas, podemos destacar:

· Estudo dos animais de cada cédula (texto informativo e texto de curiosidades)

· Diferentes formas de escrever os valores do Sistema Monetário

· Estudo de um panfleto de mercado

· Visita a um mercado para pesquisa de preços

· Montagem do Mercadinho Escolar

· Montagem de um Bazar Escolar

· Atividades de problematização e sistematização envolvendo o Sistema Monetário

· Jogos envolvendo o Sistema Monetário



Em minha experiência com a turma do 1º ano D priorizei o estudo da composição de valores, além do reconhecimento de cada cédula ou moeda do Sistema Monetário Real. O resultado desta atividade tem sido muito positivo: percebo que, de forma geral, os alunos já reconhecem o valor de cada cédula e compreendem que a mesma quantia de dinheiro pode ser composta de diferentes formas. Além disso, percebem a diferença entre “reais” e “centavos” e qual é o maior valor em jogo.

Por fim, vale ressaltar que os jogos por si só não garantem a aprendizagem, mas se configuram em um bom recurso pois estimulam a atividade intelectual e unem prazer à aprendizagem.




Leia abaixo as Instruções e Problematizações do Jogo do Real.




*Se você quiser receber mais orientações a respeito desse jogo envie um e-mail para ideiaspedagogicas@hotmail.com 




**Você pode usar este jogo mas não esqueça de citar a fonte e a idealização este jogo foi elaborado por Patrícia Ottoni da Silva Borim e teve Colaboração de Nadir Filomeno.

Um abraço

Pati Ottoni

JOGO DO REAL

Objetivos:
·         Contribuir para o conhecimento das cédulas e moedas do sistema monetário
·         Auxiliar na composição dos valores contidos nas cédulas e moedas
·         Familiarizar os alunos com a escrita de números decimais

Participantes
·         Até 24 participantes, divididos em duplas ou trios

Materiais
·         8 tabuleiros
·         Conjunto de cédulas e moedas
·         Fichas com valores
·         Ampulheta
·         Lápis
·         Folhas para escrever

Regras
·         Cada dupla ou trio pode usar apenas seu conjunto de cédulas e moedas
·         Só serão aceitas as respostas realizadas dentro do tempo estipulado pelo grupo
·         Vence o grupo que realizar o maior número de acertos

Modo de jogar
1-    Divida a turma em duplas ou trios
2-    Apresente os materiais
3-    Explore os materiais do jogo com a turma:
Como está dividido o tabuleiro? O que está escrito nele? Para que serve a vírgula?
Quais são os valores das cédulas e moedas que estão dentro do envelope? Quantas moedas de 10 centavos cada grupo tem? E notas de 2 reais? Etc...
4-    Apresente as regras e combine o tempo (ampulheta) que cada grupo terá para compor o valor monetário
5-    Antes de iniciar o jogo com a turma faça alguns testes: Coloque um valor na lousa e peça para que todos componham esse valor em seu tabuleiro e explore as respostas.
6-    Sorteie um valor nas fichas e inicie o jogo.
7-    Conforme as duplas ou trios forem terminando, recolha os tabuleiros de forma que você possa analisar e comparar as respostas junto com a turma.
8-    Faça uma tabela para registrar os resultados de pontuação.

Problematizações
Divisão por distribuição
1-    Temos 24 alunos para serem divididos em 8 tabuleiros. Quantas crianças jogarão utilizando o mesmo tabuleiro?

Divisão envolvendo formação de grupos
2-    Temos 24 alunos presentes e, hoje, gostaríamos de jogar em duplas. Quantos tabuleiros serão necessários?

Situação Aditiva de Composição Simples
b-    Neste tabuleiro há 4 moedas de 1 real, 1 nota de 50 reais e uma nota de 5 reais. Qual é o valor total contido neste tabuleiro?

c-    Faça em seu tabuleiro e, depois, registre com desenhos, possíveis formas de compor o valor sorteado pela professora.

Situação Aditiva de comparação
d-    Em qual situação o valor é mais alto? Quanto a mais?

     Situação Multiplicativa de comparação entre razões
4-    O valor sorteado foi: R$ 6,00
          Se um tabuleiro registra esse valor. Qual é o valor total que há em 5 tabuleiros registrando essa mesma quantia de dinheiro?

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Forme-se: Café Social FEAG

Olá Pessoal!

No último mês, recebi um convite super especial!

Em comemoração ao dia do Psicólogo, a FEAG - Federação das Entidades Assistenciais Guaçuanas - costuma preparar um Café-da-Manhã delicioso e uma conversa com um tema que seja importante para a reflexão sobre a prática desses profissionais no contexto do terceiro setor.

Este ano, fui convidada, não só para mediar essa conversa, mas tive a honra de escolher o tema.
Conversando com a queridíssima Tássia (autora do Ciranda 3) escolhemos definimos o tema "Cooperação na organização Social: a equipe vivencia e o público internaliza"

No dia  28 de agosto nos reunimos, com mais 30 profissionais, e "batemos" um animado "papo" com provocações referentes a esta temática.

O evento deu "pano pra manga", de uma forma muito positiva! Senti que todos saímos bastante satisfeitos...

Confiram algumas fotos (mas não percam a cobertura completa do evento em Dia do Psicólogo na FEAG)

A mesa: de café, reflexões, conversas, debates...

Ganhei presente! Uma delicadeza!!!


A equipe!
Mediando Ideias!
. “A FEAG é um tesouro para Mogi Guaçu, porque a melhor forma de a gente transformar a realidade do mundo é transformarmos a nossa própria realidade. E isso só acontece por meio de estudos, pesquisas, reflexão. A FEAG vem mostrando um engajamento muito grande em promover esse debate e esse estudo entre as entidades. Acredito ser uma iniciativa inovadora, empreendedora e de fundamental importância para Mogi Guaçu” - by Pati Ottoni =)


Um abraço

Pati Ottoni

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Ideia de Leitura: Nos labirintos da Moral

Olá Pessoal!

A Ideia de Leitura traz a sugestão  de "Nos Labirintos da Moral" escrito por Mário Sérgio Cortella e Yves de LaTaille, da editora Papirus.

Este livro é redigido em forma de diálogo em que o tema central é a Moral e a Ética. Essa conversa é mediada por esses dois especialistas no assunto.

Com uma linguagem bastante envolvente os autores nos fascinam nas discussões sobre valores morais, tão necessária nos dias de hoje, através dos seguintes temas:

  • "Questões morais e éticas ou problemas de conduta?"
  • "O outro: um de nós ou um estranho?"
  • Do erro à ética
  • "Adultos em férias"

Entre outros...

São 112 páginas de muito conhecimento e inquietações!!!
O valor do livro é em torno de R$32,00.

Vale a pena conferir...

Um abraço

Pati Ottoni


terça-feira, 8 de julho de 2014

Produção da Escrita e Consciência fonológica: o velho atual debate da alfabetização

Olá Pessoal!

"E foi mais ou menos assim:
Outro dia, um de meus alunos do 1ºD, observando algumas atividades, concluiu:
"Professora, não deve ser legal aprender uma letra de cada vez."
Eu, querendo saber mais sobre o que ele estava pensando, perguntei:
"Porque você acha isso?"
Ao que ele respondeu:
"Quando a gente aprende letra por letra, demoramos muito para poder começar a escrever palavras e histórias!"
Da série "Casos do 1º D" =)

Há entre os professores alfabetizadores um grande dilema:

  •  Qual é o melhor método para se ensinar a ler e a escrever?
  •  Devo trabalhar, primeiramente, os sons das letras?
  •  Devo trabalhar as famílias silábicas (por exemplo: BA-BE-BI-BO-BU)?? 

Essas questões também me inquietam e me fazem continuar na busca por conhecimentos (o que é maravilhoso! -diga-se de passagem)...

Como professora, acredito que mais importante do que apenas encontrar as respostas dessas perguntas é estudar as pesquisas na área de letramento e alfabetização e entender como esse processo ocorre. 

A questão não é: "Qual o melhor método?" mas, antes, "O que é significativo e desafiador neste contexto de aprendizagem?"

Precisamos perder a mania de querer encontrar "receitas (atividades) prontas que se aplicam com sucesso em qualquer contexto". Temos, todos os anos, turmas diferentes que são compostas por seres humanos únicos!!! Precisamos criar e reinventar  práticas, fundamentadas em um estudo de como se aprende, como se constrói conhecimento, precisamos ser autores de nossa atuação docente.

Acredito ainda que nascemos em um mundo letrado e, por isso, nenhuma atividade deve ser meramente escolar, didática, fragmentada, descontextualizada, mas sim, estar inserida no contexto da vida, em sua função social.

Com todas essas inquietações e IDEIAS fui buscar alguns suportes teóricos para minha prática e encontrei este vídeo com a Emília Ferreiro discutindo algumas dessas questões. Transcrevi abaixo (até como uma forma de estudar) alguns trechos de sua fala.Vale a pena conferir!!!

"Os fonemas servem apenas para escrever alfabeticamente, não servem para nenhuma outra coisa. E, requerem uma atitude analítica muito própria porque muitos fonemas não podem ser ditos isoladamente. As vogais podem ser pronunciadas separadamente, mas as consoantes são outro problema. E mesmo quando pensamos que estamos pronunciando essas consoantes isoladamente, o que fazemos é pronunciar algumas vogais ou semivogais ou algum som vocálico que acompanha, que não percebemos como vogal,  porque não são parte do nosso repertório de vogais.(Porque nossas vogais não são todas as vogais que existem no universo). A grande discussão é se essa segmentação em fonemas, supondo que há realmente a possibilidade de isolar todos os sons das consoantes, se isso tem que anteceder a introdução à língua escrita, se isso tem que ser um retorno, um pré-requisito(...) Então, eu digo: "Atenção! A discussão sobre se deve haver a possibilidade de recortar os sons da fala, "antes de", é sinal de perigo!" Porque isso nos faz regressar às velhas discussões sobre prontidão. A escrita é uma atividade extremamente analítica. Escrever é colocar uma letra, depois outra e outra e outra... E quando começa o problema de entender a relação entre a sequência de letras e a sequência dos sons da fala, começa um trabalho de recorte da fala porque ajuda a escrever. Então, não me parece estranho que haja uma relação entre o progresso da escrita da criança e o progresso de sua capacidade de compreender segmentos pequenos da fala porque, precisamente, o ato da escrita é um ato analítico. Então, se o recorte em fonemas serve apenas para escrever alfabeticamente, não entendo porque há que dissociá-lo das atividades de escrita"
Emília Ferreiro, na série "Grandes Diálogos" produzida pela Revista Nova Escola.




Um grande abraço,
Pati Ottoni

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Forme-se: Mais uma ideia concretizada!

Olá Pessoal!

Puxa, quanto tempo, não?

Hoje, venho trazer uma ideia de formação muito interessante! Trata-se de um curso de extensão, gratuito, que acontecerá em Mogi Guaçu.

O mais bacana é que o IDEIAS PEDAGÓGICAS, a FAPCOM (Faculdade Paulus de Comunicação) e a FEAG (Federação das Entidades Assistenciais Guaçuanas) uniram forças para concretizar essa bela IDEIA.

O foco do curso é contribuir para que os participantes possam buscar uma prática de atendimento à criança e ao adolescente reflexiva e focada na formação de sujeitos éticos.

Nossa proposta é estudar desde a intencionalidade, planejamento, aspectos do desenvolvimento moral e algumas práticas de educação para valores.

E, sim, é isso mesmo: essa oportunidade é totalmente gratuita!!! =)

Quem participar receberá certificado de curso de extensão, com carga horária de 80 horas. Os encontros serão realizados às terças-feiras das 18h30 às 22h30.

O curso iniciará em 22 julho e teremos atividades até outubro.

Quer se inscrever? Clique AQUII!

FAÇA PARTE DESSA IDEIA!!!

Forte Abraço

Pati Ottoni